11/07/2005

antes de adormecer

olhou a cor das folhas de outono que o vento atirara para o chão do quarto de pedras velhas. não podia ser pior que o que deixara para trás depois do saque. o gato arranjou o seu canto também, em posição de alerta.
a noite ameaçava chuva. ali se aconchegaram, até o sono lhes fechar os olhos. mas os sonhos...

fritz fabert

o despertar confirmou que chovera. ouvia-se ainda os pingos da chuva da noite a caírem dos ramos. ela sorriu. o som da chuva era música pura. o vento sobre as árvores criava sinfonias que ela, um dia, haveria de tocar.o gato no seu canto não estaria tão feliz. molhar-se não era festa para ele.

sobi.org

2 dicas:

Blogger Papo-seco está¡ dito...

Os gatos são uns empata ....

sinfonias

segunda nov 07, 12:16:00 da tarde GMT  
Blogger batista filho está¡ dito...

:)

Particularmente gostei da abordagem das duas perspectivas: a da mulher e a do gato em relação à chuva.

terça nov 08, 08:38:00 da manhã GMT  

Enviar um comentário

<< Home