11/22/2005

- ela não veio por mim, não me sabia aqui.

sentou-se no soalho de madeira brilhante. sim , fizera ele a casa com alguma ajuda. as suas mãos sabiam mais do que tocar teclas, roubando sons a cordas.

Jonathan Cox

enquanto isso, lá fora , sara espreitou a janela e viu o que entendeu como sinal: um gato e um piano.

Dave Beedon

o seu gato arranhava-lhe os pés, pedindo que saísse da posição de estátua em que ficara. mas não foi ela quem saiu, foi um vento forte, uma interior rajada que a atirou pelo espaço, ave em voo, fazendo-a flutuar o que faltava vencer até à casa, onde o que fora um amor, a aguardava

by Victor Ivanovski

2 dicas:

Blogger Manel do Montado está¡ dito...

Este suspense não mata mas desgasta devagarinho. Fico ansiosamente à espera da continuação da excelência do binómio palavra/imagem.
Beijo,

terça nov 22, 11:47:00 da manhã GMT  
Blogger batista filho está¡ dito...

... e eu a esperar por mais uma rajadinha de vento...

terça nov 22, 04:20:00 da tarde GMT  

Enviar um comentário

<< Home