11/14/2005

a jovem fechou os olhos

aos primeiros acordes estranhou a qualidade musical do afinador de pianos. a música subia com uma alma própria e sara elevava-se com ela, inebriada.

quando se apercebeu de que esquecera a futura patroa, abriu os olhos, mas a senhora já não estava no quarto. preocupou-se. correu à escada para ver se a via. nada. já nem o piano se ouvia. um silêncio de pedra numa casa de pedra. só lá fora parecia ainda haver vida.

steve garfield.


em casa da mãe havia no sótão um piano estragado. muito pequena ainda, escapava-se para ficar a olhá-lo apenas. a mãe nunca gostara que o fizesse e um dia fechou à chave o sótão e proibiu que fizesse mais perguntas sobre o assunto. nunca entendeu aquele comportamento, nem agora, crescida já. o entendia.

Will Agar

- tinhas tantos mistérios porquê, mãe? o piano, o meu pai, o homem que ia e vinha mas com quem não vivias, a cultura que tinhas apesar do trabalho tão humilde...

segredos. só segredos!
e levaste-os contigo ao deixar-me só. abandonaste-me sem história. não perdoo! tenho raiva aos teus silêncios que me cercaram a vida, que eu queria tão cheia de sons!


pascal renoux


e pela primeira vez depois da morte da mãe, soltou um grito de dor. grito de animal ferido. grito de entranhas rasgadas.

tanta impotência e agora, mais silêncio numa casa estranha, onde ninguém parecia querer saber de onde ou porque viera ela, sequer.

4 dicas:

Blogger óssóbó está¡ dito...

esse silêncio é eterno e cruel e, no entanto, os que nos rodeiam no mundo não o conhecem só se o dissermos...
bj

segunda nov 14, 12:22:00 da tarde GMT  
Blogger romero está¡ dito...

su silêncio estava lleno de penas (dolores) pasadas.

segunda nov 14, 07:29:00 da tarde GMT  
Blogger Lumife está¡ dito...

Texto e ilustrações combinam de tal modo que deixamos de ler para seguir na tela o desenrolar do enredo.


Beijos.

terça nov 15, 06:14:00 da tarde GMT  
Blogger batista filho está¡ dito...

Huuummmm...

quinta nov 17, 03:07:00 da manhã GMT  

Enviar um comentário

<< Home